MTA PORTUGAL: a vida em tempo de Quaresma

Como sempre, a Quaresma foi tempo muito rico para o MTA.

Este que é um dos tempos maiores do ano litúrgico, é também um dos tempos maiores para o ano pastoral do MTA em Portugal, tanto a nível local como nacional. Mas falemos do nacional…

O MTA foi mais uma vez convidado a promover um dia para os adolescentes da catequese do Patriarcado de Lisboa, missão que aceita há já alguns anos e que desta vez voltou a realizar, no primeiro sábado da Quaresma, acolhendo mais de uma centena de jovens no Externato de Penafirme, em Santa Cruz, para um dia dinâmico e intenso.

No fim de semana seguinte, o segundo da Quaresma, foi tempo de encontro e decisões em Fátima, com o Encontro Nacional de Jovens (ENJ), no sábado, cujo tema central foi a Eucaristia, e a X Assembleia Nacional, no domingo, na qual foi avaliado o triénio 2017-2020 e foram eleitos os novos órgãos sociais que tomarão posse em setembro (Coordenador Nacional – Pedro Matos; Pres. Mesa da Assembleia – Rita Batista; Pres. Conselho Fiscal – João Costa).

Este bonito e marcante momento contou com a presença fraterna de algumas Irmãs, nomeadamente da Ir. Amélia Martins, em representação da Equipa Provincial, e do Coordenador Nacional do MTA de Espanha, Víctor Hierro Fuentes, que também acompanhou o ENJ.

Entretanto o vírus da COVID-19 assolou o país e tudo ficou em suspenso. Todavia, o MTA continuou a dinamizar as suas redes sociais e a manter o desafio semanal que havia começado no início da Quaresma. Desafio esse que terminou com uma outra dinâmica de oração durante a Semana Santa, intitulada “Uma Semana no Castelo Interior”, com o objeto de ajudar a viver individualmente este tempo importante sem sair de casa.

A dinâmica desafiou à construção de uma cruz no Domingo de Ramos, na qual, ao longo da semana, foram sendo registados os frutos das orações diárias com base no Evangelho e na reflexão lançada pelo MTA, terminando na tarde de Sexta-Feira-Santa com uma meditação diferente, transmitida em direto na página do Facebook do MTA, e na qual estiveram unidas em oração dezenas de pessoas, jovens e adultos, do MTA e não só.

Desta forma se conclui um tempo de recolhimento interior, mais uma vez vivido ao máximo pelo MTA em Portugal de modo a preparar uma Páscoa alegre e exultante, mesmo que a mesma tenha sido apenas vivida também interiormente, embora com fé e esperança de que o Espírito Santo há-de ser mais forte que toda esta crise.

X