A comunidade Do Raval partilha dois motivos de alegria

Na comunidade do Raval estamos muito contentes, porque no mês de maio, tivemos duas grandes alegrias.

A primeira boa notícia é em relação com um dos projetos nos quais estamos comprometidas como comunidade: o Hospital de Campanha de Santa Ana. O projeto não tem subsídio de nenhum tipo, nem estatal nem particular, portanto, há momentos em que passamos verdadeiros problemas para o manter aberto e a funcionar. Graças a Deus (e a S. José, que intercede constantemente para conseguir o necessário), tudo se consegue; com austeridade, mas mantém-se. Temos três pessoas contratadas que se ocupam do projeto: Clara, assistente social, José, em serviço de comissão, e a nossa irmã Ana Cuomo, que tem a responsabilidade do voluntariado e da infra-estrutura interna. À medida que o projeto se ia definindo, víamos a necessidade de um educador social, mas era como “o sonho de uma noite de verão”. Não podíamos suportar a despesa de outra pessoa contratada!

Depois de gestões e depois de quase seis meses de interrogações e paciente incerteza, de pedir ajuda na nossa oração, a Fundação “la Caixa” está estudando a forma de pagar o salário desse educador social tão necessário.

A segunda boa notícia é que o Instituto Emmanuel Mounier de Catalunha (IEMC) e a Faculdade de Teologia de Catalunha concederam o prémio anual chamado Reconeixement Emmanuel Mounier, à nossa irmã Maria Victoria Molins “pelo seu trabalho contra a exclusão social e o bom resultado vital, humano e cultural do serviço que realiza com as pessoas sem abrigo, que vivem na rua”.

  O prémio Reconeixement Emmanuel Mounier foi instituído em 2009 pelo Instituto Emmanuel Mounier em colaboração com a Faculdade de Teologia “para valorizar e refletir a trajectória humana, ao mesmo tempo intelectual e de compromisso vital, das pessoas físicas ou institucionais que se destaquem pelo trabalho de enaltecer o ser humano como ser pessoal e intransferível com sentido comunitário e confiante na verdade e na justiça para tornar possível um mundo justo”. Alguns galardoados anteriormente foram a Fundação Vicente Ferrer, a Comunidade de San Egídio, o jesuíta José Inácio González Faus.

O ato teve lugar no dia 19 de maio no Seminário Conciliar de Barcelona, e nele se destacou a motivação religiosa de Victoria, o seu testemunho de acolhimento e escuta dos mais vulneráveis, e o compromisso que a converte numa das “animadoras” do Hospital de Campanha de Santa Ana. As palavras de agradecimento de Victória constituíram um canto a favor da pessoa humana e de todos os que lutam por situá-la no seu verdadeiro lugar dentro do universo. A comparação entre o personalismo de Mounier e as palavras de Teresa de Jesus quando escreve sobre a dignidade da pessoa, deram lugar a um grande aplauso que durou vários minutos.

Dois motivos pelos quais a nossa comunidade dá graças a Deus, e pelos quais vos convidamos também a dá-las. Somos corpo congregacional, família teresiana. Como “quando um membro sofre, todas sofremos”, desejamos que “quando um membro se alegra, todas nos alegremos”. Gracias.

Pilar Rodríguez Briz stj
Share on facebook
Share on twitter
X