A cidade de Ávila em festa

Estamos certas que durante o mês de outubro toda a família teresiana nos sentimos especialmente perto da terra de Santa Teresa. Por isso, partilhamos o que se viveu na cidade.

Na primeira quinzena de outubro a cidade de Ávila vibra à volta da festa da sua patrona, Teresa de Jesus.

No convite para as festas o Presidente da Câmara de Ávila dizia: “O seu espírito e a sua imagem acompanham-nos de forma inevitável. O seu nome e o de Ávila uniram-se ao longo dos séculos e formam um todo indissolúvel que nos acompanha em cada momento”.

No princípio do mês de outubro, a imagem da Santa (Gregório Fernández) adornada de flores, abandona a sua capela para ocupar um lugar junto ao altar da Igreja, na sua Casa onde nasceu. Ali, chegam numerosas pessoas de Ávila e turistas, para vê-la, tirar fotos, rezar…

No dia 7 começou a novena nesta Igreja-Casa onde nasceu Santa Teresa com a oração do Terço e Missa Solene presidida pelo carmelita e bispo auxiliar de Manágua D. Sílvio José Báez.

No dia 11 foi a abertura das festas na cidade, com o pregão a cargo da campeã de Espanha de atletismo, Andreia Jiménez; depois os foguetes e a actuação musical de “Nacha Pop”. E a partir deste momento, múltiplas atividades: torneios desportivos, barracas, touros, atuações musicais, desfiles, abraço à muralha… Também, à tarde do dia 12, no convento de S. José, fez-se a leitura do livro das Fundações para continuar com a oferta floral ao monumento dedicado a Santa Teresa, ao pé da muralha. Como e quanto ela é amada!

No dia 14, a imagem da Santa deixa a sua Casa natal para ser trasladada para a Catedral, onde, no dia seguinte, se celebra uma Missa Solene presidida pelo Bispo de Ávila, D. José María Gil Tamayo. Nesse dia não cabe nem um alfinete na Catedral.

A seguir, centenas de pessoas esperam nas ruas próximas, a passagem da procissão com as imagens de Santa Teresa e da Virgem da Caridade. Pela tarde, na casa da Santa, depois de escutar o texto do livro da Vida: “Lembro-me de que quando morreu a minha tinha eu uns 12 anos. Como eu comecei a entender o que tinha perdido, aflita fui junto de uma imagem de nossa Senhora e supliquei-lhe com muitas lágrimas, que fosse minha mãe”, “Mãe e filha” despedem-se e a Virgem regressa à Catedral. Quanta emoção!

A isto seguem-se uns bonitos fogos-de-artifício que iluminam a cidade muralhada… E assim continua a festa até ao domingo, dia 20.

A isto seguem-se uns bonitos fogos-de-artifício que iluminam a cidade muralhada… E assim continua a festa até ao domingo, dia 20.

Share on facebook
Share on twitter
X